Veterinario Sintra
Seguir @vetsintra

Neurologia Veterinária

Os nossos animais de estimação podem apresentar alterações neurológicas em qualquer fase da vida. Essas alterações podem-se manifestar de forma aguda ou progredindo lentamente durante vários meses. Algumas raças têm mais predisposição, mas mesmo os animais sem raça definida podem ser afetados.
Os animais com sintomas neurológicos podem apresentar lesão primária no sistema nervoso ou doença metabólica ou sistémica, que afeta o sistema nervoso de forma secundária.

Os sintomas podem ser mais ou menos evidentes dependendo da localização e da extensão da lesão e diferentes doenças podem causar alterações clínicas muito semelhantes. Além da obtenção do histórico e o exame físico completo, é necessário a realização de exames complementares específicos na obtenção do diagnóstico como a mielografia e a tomografia, que possibilitam a visualização de estruturas anatómicas contidas no crânio e na coluna vertebral.

Nos animais mais jovens a incidência de má-formação e de doenças infecciosas é grande. A má-formação mais frequente em cães é a hidrocefalia, principalmente nas raças de pequeno porte. Embora intoxicação e traumas possam ocorrer em qualquer idade, os cachorros, devido à sua curiosidade, estão mais sujeitos a apresentar tais alterações.

Nos animais adultos, doenças infecciosas, inflamatórias e degenerativas do disco intervertebral como a hérnia discal, são frequentes. Nos cães adultos, a epilepsia idiopática (convulsões recorrentes) é frequente, especialmente em algumas raças.

Nos animais idosos a incidência de doenças metabólicas, neoplásicas (tumores), vasculares (infarte, derrame, isquemia, AVC) e degenerativas, aumenta, além dos tumores cerebrais.

Sintomas

Animais com lesão cerebral podem apresentar uma série de alterações, muitas vezes erroneamente associadas à idade avançada, como andar sem parar, trombar em objetos, alterações no comportamento e de personalidade, agressividade, dormir de dia e ficar acordado durante a noite, perseguição de cauda, ficar parado ou preso nos cantos, latir ou miar excessivamente.
Também podem apresentar dor, claudicação (coxear), falta de força nos membros, arrastar a pata no chão, quedas, incoordenação (não andar em linha reta ou andar apoiando na parede) ou até paralisia, de um ou todos os membros. Outros sintomas são convulsões (ataque, crise), cegueira súbita, perder o movimento de um lado da face ou do corpo, ficar com a cabeça de inclinada para um lado, dificuldade para respirar ou deglutir, insónia ou presença de algum tipo de movimento involuntário (tiques como movimentos de mastigar.
Em caso de qualquer comportamento atípico, o animal deve ser avaliado por um Médico Veterinário.


Seguir @vetsintra